blog

Categoria

Prime Ar Condicionado - Venda, Instalação e Assisténcia Técnica

Instalação

09/11/2017

Ar-condicionado em condomínio: qual modelo é permitido?

Cada vez mais ter um aparelho de ar-condicionado em condomínio é um desejo possível e simples de ser realizado. Antigamente, o sonho do lar climatizado era quase sempre vetado em prol da preservação visual das fachadas, mas o mercado evoluiu e, hoje em dia, oferece uma série de modelos para atender a diferentes necessidades.

O segredo para acertar na escolha depende de dois fatores: planejamento e padronização.

Planejamento: ar-condicionado em condomínio depende de aprovação da maioria

Primeiramente verifique o que determina a Convenção do Condomínio. Afinal, os aparelhos não podem ser instalados aleatoriamente. Cabe ao síndico convocar uma assembleia para discutir a proposta com os condôminos. Por implicar em alterações na fachada e na rede elétrica, a decisão depende da aprovação da maioria.

Constatado o interesse coletivo, o síndico deve solicitar um laudo técnico de uma empresa especializada. Com isso, evitam-se erros comuns. Os profissionais analisam a área e preveem o redimensionamento da rede de energia, bem como sugerem locais seguros para as instalações.

Com as informações em mãos, o síndico convoca outra assembleia para que os moradores definam o tipo de aparelho e seus pontos de instalação, seguindo uma simetria.

A boa notícia é que, atualmente, boa parte dos empreendimentos é projetada prevendo a instalação dos aparelhos. Esses ficam discretamente posicionados em terraços ou disfarçados sob estruturas revestidas no mesmo acabamento usado na fachada.

Padronização: fachada preservada, sem pinga-pinga ou sobrecarga elétrica

A padronização impede o comprometimento estético das fachadas, sendo que as faces mais indicadas são as laterais e o fundo. Até mesmo recursos usados para camuflar os aparelhos, como placas e coletores para a água condensada, devem ser padronizados para respeitar o projeto arquitetônico.

Também há de se considerar a sobrecarga da rede elétrica, previamente calculada. Seguir a padronização garante que, mesmo se todas as unidades tiverem ar-condicionado, não há risco de queda de energia.

Tipos de ar-condicionado: considere a área, o número de pessoas e o uso do ambiente

É possível escolher entre aparelhos mais baratos ou mais tecnológicos, que proporcionam mais economia no dia a dia.

Quanto à potência, deve-se tirar a média entre a área a ser climatizada e a insolação recebida. O valor obtido atende a até duas pessoas por ambiente. Para cada pessoa adicional, acrescenta-se 750 BTU/h.

Conheça os modelos permitidos e mais empregados em condomínios:

Ar-condicionado Janela

O modelo tradicional é indicado para locais onde há um recorte na parede para instalação. Compacto, contém todo o sistema de refrigeração (condensadora, compressor e evaporadora) no mesmo gabinete.

Ar-condicionado Split

O moderno Split é dividido em uma unidade interna (evaporadora) e uma externa (condensadora). Silencioso, com filtros que retêm impurezas do ar e com design elegante, pode ser posicionado próximo ao teto.

Ar-condicionado Split Inverter

Mais tecnológico, o Split Inverter destaca-se pelo menor consumo de energia, bem como pela capacidade de atingir a temperatura desejada rapidamente, sendo ideal para ambientes que precisam ficar sempre climatizados.

Multifuncional, traz as funções de desumidificação, refrigeração e ventilação, bem como aquecimento. Além disso, seu gás ecológico R410A remove as partículas de sujeira e desodoriza o ar, prevenindo problemas respiratórios.

Ar-condicionado Split Janela

O Split Janela é ideal para quem possui o espaço reservado para o aparelho tradicional mas não abre mão das funcionalidades do Split. Nele, a condensadora é do mesmo tamanho dos modelos tradicionais, mas a evaporadora segue o padrão Split.

Ar-condicionado portátil

Se a ideia de instalar um ar-condicionado tiver sido vetada ou no caso de quem mora de aluguel, existem os modelos portáteis. Indicados para pequenos ambientes, a única exigência é posicioná-los próximos às janelas, para fazerem a troca de calor.

Também é interessante acoplar uma mangueira, para esvaziar a água acumulada no reservatório diretamente no ralo.

Viu como é possível fazer uso do ar-condicionado em condomínio? Afinal, foi-se o tempo que morar em apartamento representava uma série de restrições impositivas! Tudo é uma questão de planejamento e bom senso.